Top

“Vai lá e Faz”: um livro que toda Moving Girl deve ler

Se você é uma empreendedora ou está cogitando se tornar uma, ainda mais agora com a pandemia e no âmbito digital, precisa ler esse livro! Nesse post eu vou te contar o porquê.

Logo que eu decidi empreender na internet eu comecei a buscar por livros que fossem atuais e que falassem da realidade do meio digital. Eu não só estava em busca de teoria, mas de experiência, de lições práticas e diretas para me ajudar nessa jornada, assim encontrei o “Vai lá e faz”, já amei o título porque eu estava nesse movimento.

Apesar de o livro ter sido escrito em março de 2015, sua linguagem permanece atual e todas as reflexões que o autor traz a partir do seu método VLEF (falarei mais adiante) são pertinentes para quem quer trabalhar na internet, independente se está no início da trajetória ou não.

O autor de Vai lá e faz

De início, Tiago é chamado de “Seth Godin brasileiro” no prefácio por ninguém menos que Rony Meisler (fundador da Reserva). E se você não sabe, Tiago Mattos é um dos maiores futuristas brasileiros. Ele é formado pela Singularity – Universidade no Vale do Silício, pelo Google, pela Nasa, e pela Harvard. Portanto, se você ainda não o conhece, saiba que ele também é um dos fundadores da Perestroika, uma escola de metodologias criativas.

Só por esse pequeno resumo da bio do autor já da para perceber que o cara realmente é atual, tem embasamento teórico, experiências e uma visão de mundo bastante especial para construir seu método VLF sobre o que é empreender na era digital. No início do livro ele já lança sua premissa:

Empreendedores têm o dever de derreter suas atuais estruturas empresariais em favor de modelos distribuídos. Mas, principalmente: têm o dever de compartilhar a sua consciência empreendedora – a capacidade de realizar – com aqueles que ainda não possuem. Essa é uma missão de todos.

Você concorda com essa visão, miga? Confesso que ao ler essa frase já no primeiro capítulo minha cabeça explodiu! Só quando você toma consciência e se empodera do lugar transformador e desafiador aonde você conseguiu chegar enquanto empreendedora é que vira uma “chavinha”, um mindset empreendedor mesmo.

Mindset empreendedor

O livro é bastante inspirador nesse sentido, com uma escrita provocativa que convida o leitor à reflexão. Através de capítulos que trazem as perspectivas do futuro para o empreendedor e conceitos importantes logo no começo do livro, cada pessoa está diante de uma mudança de mentalidade.

Assim, o autor vai dissecando em cada capítulo o universo do empreendedorismo, bem como faz a desconstrução de várias ideias já enraizadas na sociedade. Além disso, há ainda discussões sobre o digital, a era pós-industrial e outros assuntos desse movimento. Realmente é uma leitura para se fazer com um caderno ao lado para insights que possam surgir.

Posto isso, vamos ao método do autor, o VLEF, pelo qual as reflexões mais profundas do livro vão caminhar.

O método VLEF – Vai Lá e faz

A principal motivação desse método segundo o autor é de corroborar com ambos os lados: despertar o empreendedorismo em pessoas que possuem essa veia empreendedora e por outro lado, tornar empresas mais horizontais. Para esse método, Thiago elegeu 7 passos; destaco os que mais me fizeram refletir:

  1. A vontade de empreender partindo para a ideia;
  2. Protótipo, o MVP: quando você tira a ideia do papel;
  3. Projeto: os planejamentos, de fato; tomando forma e vida;
  4. Como fazer um negócio virar uma empresa.

De maneira bem simples e direta, o autor perpassa cada ponto desse e, com isso, você consegue enxergar em que patamar seu negócio está:

“Porque se você pensa em vender camisetas, você está na fase da vontade. Se você define que vai fazer uma coleção estampando frases engraçadas de figuras emblemáticas do futebol como Higuita, Valderrama, Maradona e Romário, opa você já tem uma ideia. Se você pilota a sua primeira camiseta, com um tecido que ainda não é o valendo, só para ver o que os outros acham, ainda está no protótipo. Agora quando você negocia a matéria-prima, faz o layout das frases, fecha com a gráfica, divulga sua coleção no Facebook – e começa a rodar esses ciclos sistematicamente-, aí o bolo entrou no forno. Aí você tem um projeto”

Enfim, o autor vai apontando fatos sobre a nova era em que estamos, sobre revolução digital e sobre as lógicas e com isso traz críticas do que devemos aprender sobre história. Mais do que isso, a partir dos aprendizados e insights, como cruzamos isso para transformarmos e buscarmos mudanças com nossos negócios digitais.

Por que ler esse livro?

Se os argumentos acima ainda não te atiçaram para ler o livro, eu posso te dizer com convicção, miga, que com a leitura você vai sair cheia de reflexões, insigths e transformada para seu negócio e com certeza, você vai reler para garantir que não perdeu nada e ainda extrair mais ideias dele. O melhor de tudo? O movimento a que o livro te impulsiona.

Ao ler o livro, primeiro que você embarca nos importantes marcos da história para refletir e também num mergulho interno e repensa o que é o empreendedorismo (são quase 8 pontos diferentes de profissionais que o autor aborda nesse sentido). Com isso, o autor te dá algumas opções e ferramentas para te direcionar.

Pense em um livro que fale sobre consumo, pessoas, golden cicle, propósito, futuro do trabalho e uma viagem muito doida, mas muito gostosa!

Pensou? Então permita-se, miga, porque esse livro me surpreendeu, me confrontou e eu caminhei bastante com minha empresa, para além de mindset.

Por fim, eu li o livro no formato digital em meu kindle (o preço na Amazon é bastante acessível) e adorei! Mas o seu grande diferencial é o design (já estou com vontade de comprá-lo na versão impressa, inclusive) que possui cores chamativas, esquemas e imagens gráficas.

Enfim, miga, te desejo uma ótima leitura. Um beijo e até o próximo post!

Técnica em marketing e estudante de publicidade e propaganda na USP. Desde sempre precisar trabalhar e estudar e assim, entendi que com organização, planejamento e jogo de cintura, nossos sonhos são possíveis.

Publique um comentário