Top

Miga, não se esqueça de criar o seu conteúdo

É normal ficar presa em muitos posts e sentir medo de criar o seu conteúdo! Mas, que tal transformar esse desafio num passo a passo da sua rotina? Vem comigo que te mostro como!

Desde já, confesso que a transformação da produção de conteúdo na Internet enche os meus olhos, visto que, o que antes eram peças simples ou fotografias posadas com legendas simplistas, se transformou, em pouco tempo, numa verdadeira experiência de aprendizado multiplataforma. Entretanto, tanto consumo pode gerar, dentro da gente, uma sensação de nunca estarmos verdadeiramente prontas para iniciar um novo projeto.

Conteúdo é, na verdade, uma grande conversa

Eu penso conteúdo como uma porta de acesso a todas as vivências que tive, desde conversas com amigas aos filmes que tanto amo. Lembro de uma mentoria para redatoras ministrada pela Cami, onde perguntei o que era necessário para construir bons conteúdos dentro do meu negócio.

“Miga, ninguém vai criar conteúdo igual a mim ou você. A grande sacada para o seu negócio é pegar as suas próprias referências e transformar em aprendizados aplicáveis. Eu comecei a Moving compartilhando erros e acertos que tive enquanto empreendedora. Adaptei tudo para o meu tom de voz, que é o mesmo da marca. Eu quero que minhas migas se sintam à vontade e seguras de que podem dominar o mundo sem passar pelo mesmo que eu. Criar conteúdo só vale a pena quando você assume um lugar de humildade e está disposta a entregar o que sabe, servindo a sua comunidade”.

Camila Vidal – CEO da Moving Girls

Distrações X Prioridades

Consumir informação pode ser um momento rico na sua jornada como empreendedora, entretanto, quando perdemos o foco é muito comum nos depararmos com um aglomerado de janelas abertas e agenda cheia para dar conta. Em suma, é importante entender, primeiramente, o que é prioridade para você hoje. Contudo, já adianto que é super válido colocar o seu negócio e você mesma na linha de frente da vida.

Criando “do zero”

Processos criativos são jornadas subjetivas e acredito que cada indivíduo carrega os seus. Apesar de existirem tantas fórmulas para criar um conteúdo, eu te aconselho a encontrar o seu próprio estilo. Eu costumo começar as minhas ideias no papel. Me respondo a essas perguntas:

  • Qual é o problema da vez?
  • O que eu penso sobre ele?
  • Já li algum livro ou artigo sobre? (Se sim, com certeza vou referenciá-lo/indicá-lo)
  • Quais soluções eu proponho para acabar com esse b.o? (Principalmente as que já apliquei e deram certo)
  • Qual a opinião de alguma autoridade sobre o mesmo assunto?

Sim, eu vejo a opinião no final do processo para não influenciar a minha linha de raciocínio. Todavia, quando se trata de problemas complexos ou que demandam um background teórico o qual eu não tenha, considero olhar essa opinião para antes.

Não é um método fixo! A ideia aqui é que você mapeie a sua forma de raciocinar, bem como de resolver questões cotidianas.

Também adoro mapas mentais. Costumo colocar o problema no centro de uma folha em branco, daí escrevo, ao redor, algumas palavras que se relacionam com ele. Para mim, observar esse “desenho” de palavras, faz brotar ideias e novos começos em minha mente. Contudo, vale também investir nos velhos e bons tópicos. Utilizo, inslusive, esse método para criar a estrutura das redações aqui. 

Cada subtítulo inicia um tema e o tópico do subtítulo o aprofunda. Por fim, sou eu quem decido quantas camadas quero adentrar sobre o assunto. 

Para te inspirar 

  • Precisa ressignificar a forma de consumir informações? Leia sobre Slow Blogging;
  • Acompanhe o Tira do Papel para descobrir formas leves de começar a criar;
  • Assine a newsletter do Eu Organizado, pois é fato… Sem organização não chegamos a lugar algum;
  • Ouça Lo-fi para relaxar hahaha. Indico essa playlist:

E, em suma, seguimos compartilhando formas possíveis de consumir num ritmo que não trave nossa cabecinha e inspire novos voos. Até mais, miga!

Trazendo algumas reflexões para você repensar o empreendedorismo negro e suas práticas antirracistas. Mas, fica tranquila, miga... Eu também vou te ajudar nessa missão!

Publique um comentário