Top

Itália: Aperitivo, uma tradição que faz girar a economia

Ciao, miga, come va? Pronta para um aperitivo?

Se você vier para Milão, com certeza, o aperitivo à milanesa, não pode faltar no seu itinerário.

Previamente, de maneira bem simples, o aperitivo é uma bebida preferivelmente alcoólica que é bebida antes das refeições para estimular o apetite acompanhado com umas coisinhas rápidas para comer como: azeitonas, taralli, chips de batata, etc.

Todo brasileiro que eu conheço que veio “turistar” na cidade, ama fazer l’aperitivo. A ideia de beber um drink e ter o buffet liberado no meio de uma viagem, o famoso “almo-janta”, fascina qualquer um.

E é assim que o aperitivo funciona. Mas vamos entender melhor esse fenômeno partindo da sua origem. Pronta? Salute!

giphy aline froess com um spritz na mão
Giphy meu com um Spritz na mão. Salute miga!

De volta à origem

Antes de mais nada, a palavra “aperitivo” deriva do latim aperitivus (que abre), uma bebida capaz de estimular, portanto, “abrir” a sensação de fome.

O aperitivo, nasceu em Torino em uma pequena loja de bebidas do Sr. Antonio Benedetto Carpano, que em 1786 inventou o Vermute, uma bebida feita à base de vinho branco adicionado a uma infusão de mais de 30 tipos de ervas e especiarias.

Desde então, a bebida, foi exportada para toda a Europa e posteriormente produzida pela Cinzano e Martini, tornando-se o aperitivo por excelência, para ser consumido puro ou como base para muitos drinks como o Negroni.

Posteriormente, se espalhou por várias cidades italianas como Milão, Gênova, Florença, Veneza, Roma e Nápoles.

O consumo de coquitel pelo mundo

Com o passar dos anos, fazer um aperitivo se tornou uma moda em todo o mundo. Se em meados dos anos 80 bebiam Long Island Iced Tea, Whisky com gelo, Campari, Bloody Mary, em 1988, foi a moda dos coquetéis sul-americanos como o Daiquiri, Tequilas e Margaritas.

No início dos anos 90, os drinks à base de vodka tornaram-se moda, seguidos alguns anos depois pelo Americano e veio a redescoberta do Negroni Sbagliato, inventado no Bar Basso em Milão no ano de 1968, se tornando um dos drinks mais populares junto ao Vodka Martini e ao Spritz, o meu preferido e coquetéis com sucos de frutas.

O vinho prosecco, é o aperitivo preferido, quando se trata de beber uma bebida alcoólica sem ser um coquetel.

giphy de uma menina abrindo uma garrafa de prosecco.

Aperitivo atualmente

Hoje em dia, é um verdadeiro ritual em toda a Itália, que começa por volta das 18h00 até às 21h00. O preço varia, entre 5€, 31 reais e vai até 15€, 94 reais. Em algumas cidades da Itália, o aperitivo se faz também antes do almoço.

Miga, o principal lema do viajante é: “quem converte, não se diverte”, então pensamos sempre em Euro. Os jovens trabalhadores de Milão adoram a ideia de sair do trabalho, fazer um aperitivo como substituto da janta e só então ir para a casa. Esse “tipo” de aperitivo é de verdade, um buffet desses de casamento, onde você paga um drink e come o quanto quiser.

Que as outras migas correspondentes me perdoem, mas o melhor lugar para se comer bem na Europa, é sem dúvida alguma na Itália.

Nos lugares mais chiques, você pede um drink, e o garçom traz uma bandeja com as mini porções para você beliscar. Esse é o meu tipo de aperitivo preferido.

A ideia do buffet não me fascina, porque eu tenho a lua em Touro, miga, comer é um assunto sério para mim e eu amo comer bem, cozinhar, descobrir novos pratos. Então, prendi nota, miga, tem dois lugares onde eu topo fazer o aperitivo com buffet em Milão, que sei que a comida é boa e eu não vou me arrepender, que são o Deus Ex Machina e o Cinese Box Milano.

Aperitivo e a economia

Que a Itália é uma grande exportadora de vinho já sabemos, mas a economia do aperitivo gira em torno de 4,3 bilhões de euros.

Nos últimos anos, porém, Sandro Boscaini, presidente da Federvini, federação italiana industrial de exportação e importação de vinho, licores, grapa, etc, afirma que cresceram muito principalmente na exportação de licores para aperitivos, como o Aperol e o Vermute.

“Em termos percentuais, crescemos ainda mais que a França, que com 4,5 bilhões de euros é o segundo maior exportador de destilados do mundo. A principal razão para o sucesso na exportação de licores italianos está no fato de que os millennials de todo o mundo adoram o aperitivo Made in Italy.”

giphy meninas millennials brindando.

Salute, miga!

Definitivamente, miga, queremos dominar o mundo para pagar os nossos bons drinks, não é mesmo?

Eu me lembro, que quando cheguei na Itália, em 2012, só se falava em aperitivo. Uma vez, eu e uma amiga, fomos fazer um aperitivo, e não queríamos beber nada alcoólico. Queríamos era comer batata frita e tomar coca-cola. Foi a coca mais cara de toda a minha vida, custou 9€. E por falar em Coca-Cola, você já viu o post que fala sobre a marca mais consumida do mundo? Vale a pena, miga!

Por fim, a regra do aperitivo é: você paga pelo drink e a comida é liberada. Não importa, se você for ao bar, café, adega ou restaurante se for no horário de aperitivo, o preço é fixo. Acredito que a única exceção é para água, mas aí você não tem direito ao buffet.

Em tempos de pandemia, muitos lugares se adaptaram e você pode pedir o seu “aperitivo” diretamente na sua casa.

Sinceramente, eu não vejo a hora de poder sair de casa novamente e fazer um aperitivo como se deve em algum rooftop por aí.

Enquanto não podemos sair, eu vou ao supermercado comprar tudo que for necessário para fazer meu Spritz.

Dica de ouro, miga: adicione sempre 1 ou 2 azeitonas no seu Spritz. =)

Por hoje é só, miga! Baci, abbracci e alla prossima!

No cartão de visitas sou arquiteta e designer, mas poderia me definir como uma contadora de histórias. Canceriana com ascendente em gêmeos, eu adoro uma peça vintage e não perco uma aglomeração. Vim para Milão em 2012 para estudar, mas fiquei aqui mesmo foi por amor. Quando não estou na frente do computador, estou sempre experimentando um prato novo, descobrindo novos lugares e saboreando uma boa xícara de café.

Deixe-nos um comentário, miga!