Top

Impacto da alimentação sobre a saúde da pele

Em meio ao corre-corre dessa vida louca de empreendedora, eu sei que você curte tirar um tempinho para cuidar da pele. E se não faz isso, tem interesse em fazer. Confessa vai! E, miga, você está certíssima! É importante sim cuidar do seu negócio, mas cuidar de você também é essencial. Afinal, isso vai impactar diretamente em sua autoestima, concorda? E, por isso, hoje vamos exaltar esse assunto: o impacto da alimentação sobre a saúde da pele.

Importância do cuidado “in”

Investir em produtos de qualidade, procedimentos estéticos (peeling e limpeza de pele, por exemplo) e rotina de cuidado diário é sim muito válido para cuidar da pele. Mas não basta ter o cuidado “out”. É necessário ter o “in” também.

gif friends - saúde da pele

Neste caso, o que comemos e até mesmo a forma com a qual comemos é importante para garantir a saúde e o retardo do envelhecimento cutâneo. E ressalto que mais do que estética, se alimentar corretamente também impacta diretamente na fotoproteção, isto é, na prevenção de danos causados pela exposição solar. Saúde da pele importa sim, miga!

O cuidado começa pelo intestino

Provavelmente, após ler esse subtítulo você ficou:

Mas é isso mesmo que você leu, miga! O funcionamento do seu intestino impacta diretamente sobre a pele e diversos outros fatores como até mesmo o humor (JURO!).

Você já ouviu falar em disbiose? Não? Então, vamos lá. Disbiose, resumidamente, é um desequilíbrio em nossa microbiota intestinal. As bactérias se bagunçam e nosso intestino fica mais sensível e propenso a absorver substâncias inflamatórias. Como o que nós absorvemos atinge todo o corpo – já que cai na corrente sanguínea – isso pode causar vários “estragos”. Dentre eles, o surgimento de acne. Então já é comprovado que a regulação da microbiota intestinal reduz inflamações cutâneas, reduzindo o surgimento da acne e/ou as inflamações causadas pela mesma.

Quanto mais colorido, melhor!

Ah, os pigmentos naturais! Você sabia que aquelas cores bonitas presentes principalmente em frutas, legumes e verduras possuem certo significado? Pois é! Eles não servem apenas para deixar o prato bonito, mas representam a carga de antioxidantes presentes nos mesmos. Vamos listar alguns mais importantes:

  • CAROTENOIDES: destacam-se principalmente aqueles alimentos com pigmentação amarelada, alaranjada, avermelhada (tomate, cenoura, abóbora, etc). Eles possuem grande potencial de agir contra os radicais livres, retardando assim o envelhecimento das células e, consequentemente, o envelhecimento da pele. Além disso, atuam como fotoprotetores e até mesmo influenciam no bronzeado perfeito (betacarotenos – alaranjados);
  • POLIFENÓIS: esse é um grupo bem grande de antioxidantes, mas vários deles possuem grande influência sobre a saúde da sua pele, combatendo radicais livres e evitando também o envelhecimento precoce. São alimentos fontes: morango, beterraba, berries (framboesa, mirtilo, amora), berinjela, etc.

Outros aliados da saúde da pele

Antes de citá-los, é importante falar sobre o nosso sistema antioxidante nato. Sim! Temos uma linha de defesa em formato de enzimas. Porém, para que elas atuem de forma eficaz e contínua são necessários coadjuvantes. Dentre eles, por sua vez, são zinco, selênio, manganês, cobre e ferro (oleaginosas, cereais integrais, carnes, leguminosas e sementes de girassol ou linhaça).

Já falando em vitaminas, podemos destacar: A, C e E. Elas atuam na renovação das suas células, no combate aos radicais livres e na proteção contra os danos causados pelos raios ultravioletas. Podem ser encontrados em alimentos como frutas cítricas, óleos vegetais, oleaginosas, vegetais verdes escuros, etc.

O que evitar?

Até agora você viu dicas do que consumir. Mas o que é bom evitar (em excessos, claro)? Bom, quando você ingere grandes quantidades de açúcar, o excesso de glicose que circula em sua corrente sanguínea pode se unir a uma proteína, como o colágeno. O problema é que essa glicose literalmente bagunça tudo! Ela não somente traz instabilidade à proteína como também a “quebra”.

“Ah, mas então nunca mais posso comer doces?”

Pera, calma aí, miga! Pode sim. Mas, como sempre digo, equilíbrio é tudo. Os danos causados pela glicação são nítidos a longo prazo. Então se você tem uma alimentação saudável e se permite comer um docinho de vez em quando, não haverá nenhum problema.

Contudo, o que podemos concluir com este post? Que uma alimentação variada (cores, texturas) aliada ao equilíbrio (não se restringir, mas também não exagerar), é o caminho para manter a pele radiante e protegida. E, além disso, tudo, não esqueça do consumo de água, hein?!

Bora começar esse cuidado de dentro para fora?

Nutricionista, anti-dietas da moda e debochada. Me especializei em nutrição comportamental e esportiva com foco em qualidade de vida e desenvolvi um formato de atendimento humanizado com o intuito de ajudar pessoas a conquistarem autonomia sobre a alimentação de forma amigável, leve e sem restrições. Defensora de corpos livres de padrões estéticos.

Deixe-nos um comentário, miga!