Top

Guia infalível para a humanização das marcas

O ano de 2020 tem sido complexo, para dizer o mínimo, né, miga? Mas, se podemos citar um aspecto positivo neste ano marcado pela pandemia do coronavírus foi o despertar das empresas para a importância da humanização. Se você já ouviu esse termo por aí e quer saber do que se trata, vem comigo que eu vou te contar sobre a jornada das marcas na busca pela tal da humanização.

O que é humanização?

O termo “humanizar” diz respeito a tornar humano. Nesse sentido, quando falamos de humanização de marcas, nos referimos a empresas próximas aos seus clientes, preocupadas com as suas necessidades, transparentes, engajadas… Em suma, humanas!

marcas humanizadas

O termo em si não é novo, mas, sem sombra de dúvidas, o conceito de humanização nunca foi tão discutido quanto agora. A pandemia nos fez refletir sobre as nossas relações humanas e parece ter provocado o mesmo com as relações comerciais. Pesquisas apontam que, neste momento, os consumidores estão buscando se conectar a empresas mais empáticas.  

Esse contexto direciona as marcas à humanização e essa é uma tendência muito positiva, contudo vale lembrar que a conexão humana verdadeira vai muito além de um trabalho de imagem, ela está na cultura, na forma como a marca se relaciona como os seus colaboradores e parceiros, enfim, em como ela se posiciona também “quando ninguém está olhando”.

O que as marcas têm feito?

1. Focando no cliente e não somente na venda

A humanização começa quando o foco está nas pessoas e em como resolver o problema delas. A venda vem como resultado dessa experiência.

2. Falando a língua do seu público

Nessa busca pela conexão com o público, é crucial também se comunicar de uma forma que ele compreenda, se identifique e se sinta à vontade para interagir.

3. Pedindo desculpas

Errou? Peça desculpas. Uma das principais caracteristicas dos seres humanos é a capacidade de aprender com os seus erros e evoluir. Essa também é uma caracterítica das marcas humanizadas.

4. Envolvendo o seu público nas decisões

Uma forma de fortalecer o vínculo de uma marca com o seu público é envolvê-lo nos processos e decisões, como o exemplo da Ultragaz, que engajou sua audiência em uma votação para a escolha do seu assistente virtual.

5. Mostrando os bastidores

Mostrar os “closes” e os “corres” de um negócio também é um caminho para a humanização, visto que aproxima o seu cliente da realidade empresa.

6. Se posicionando através de ações

Foi-se o tempo em que a regra para as marcas era serem neutras. Os clientes querem ver a empresa que ele gosta/segue/admira se posicionando e as marcas já entenderam isso. A questão é que posicionamento vai além de um discurso bonito, é feito de ações.

Miga, agora que você já está ciente dessa busca das marcas pela humanização e o que isso representa, eu te pergunto: Como vai a sua marca? O que você tem feito para se conectar verdadeiramente com o seu público?

Uma administradora apaixonada por gestão e educação, que une essas duas coisas com o objetivo de desenvolver pessoas e, consequentemente, organizações, para que estas se tornem mais eficazes, humanas e competitivas.

Deixe-nos um comentário, miga!