Top

Estudo ativo e estudo passivo: qual é o melhor?

Você já ouviu falar em estudo ativo e passivo? Se ouviu ou não, mas quer saber qual é o melhor para você, se liga nas orientações abaixo, entenda, aplique e tenha bons resultados. Partiu estudar!

Primeiramente, se você se interessa por métodos de estudos, vai amar esse post no qual eu conto 5 métodos incríveis. Mas focando aqui, quero que você identifique rapidamente que tipo de estudo (passivo ou ativo) você executa a partir das características abaixo. Confere aí!

Estudo Passivo: o que é?

Em resumo, é quando você não se envolve durante o estudo. Quando você está lendo um texto, assistindo a alguma aula e fazendo uma atividade secundária como, por exemplo, lavar a louça enquanto ouve seu professor. Estudo passivo é todo aquele que você faz em meio a outras atividades e não se envolve tanto.

Assim, muitas vezes ele é exercido quando você está imersa na atividade apenas recebendo a matéria, como, quando você está assistindo a uma série buscando aprender um novo idioma: necessariamente você não está anotando nada, não está interagindo com os personagens, mas ainda assim, está estudando.

Estudo ativo: isso, ação!

Por outro lado, o estudo ativo é quando você se concentra apenas em estudar, de maneira muito focada sem distrações: o estudo nesse momento se torna sua única atividade. Logo, você tem uma leitura ativa no que você está lendo, você se questiona e reflete, resolve questões e por aí vai.

Nesse sentido, é quando você realmente se envolve com o estudo; até ensinando alguém, de fato você está estudando e tomando alguma ação a partir disso. Já dianto que esse tipo de estudo é muito interessante para o caso de você ter muita dificuldade em determinado assunto que está estudando, pois, te “força” mais de certa maneira a ter uma postura ativa ao estudar.

Então, qual é o melhor método?

Ok, miga, até aqui você observou sua postura frente aos estudos e identificou como você age (pode ser que isso oscile em situações e matérias que você goste ou tenha dificuldade) na hora de estudar, se tende a ser mais passiva ou ativa. Então, chegou o momento de saber qual é o melhor método para você.

Nesse panorama, pesquisas comprovam que de acordo com algumas metodologias de aprendizagem, existem “degraus” e cada pessoa absorve o conteúdo de alguma maneira. Logo, uma das teorias mais famosas da atualidade é a do psiquiatra William Glasser, na qual ele discorre que os alunos aprendem da seguinte forma:

  • 10% lendo;
  • 20% escrevendo;
  • 50% observando e escutando;
  • 70% discutindo com outras pessoas;
  • 80% praticando;
  • 95% ensinando.

Portanto, se você adotar a teoria da Pirâmide de William Glasser como parâmetro, vai perceber que quanto mais interativo o estudo for, maior a fixação do conteúdo. Você percebeu que em porcentagens menores estão os pontos do estudo passivo?

Por fim, uma das observações mais legais da teoria de William é que o aluno toma consciência do quanto é responsável pela sua aprendizagem.

Miga, torne-se protagonista dos seus estudos! A escolha do método de estudo é bem pessoal, pois, para decidir entre eles você precisa ter autoconhecimento, testar os métodos e validar o que deu certo ou o que deu mais certo para você; e por fim, sentar e estudar. Dito isso, vou te contar as vantagens de cada um e você dá o seu veredito final.

O melhor dos dois

Independente do que você for escolher, lembre-se que facilmente você pode mesclar os dois: no passivo você consegue estudar enquanto faz outra atividade e não tem limite de tempo (é você com você mesma ali lendo, recebendo a matéria); no ativo você resolve questões, reflete, desenvolve materiais como tabelas.

Então, uma boa opção é intercalá-los dentro da sua realidade. Você pode, por exemplo, ler um texto sem grifar para ter uma ideia, depois relê-lo grifando as principais partes e partir para as questões ou até ouvir um ‘podcast’ em inglês e depois fazer exercícios sobre o tema. Entende como é algo realmente adaptável para o que você sentir mais conforto e resultados na hora do estudo?

Por fim, eu te convido a refletir sobre esse post para entender bem as possibilidades e se encontrar nos estudos e também a fazer esse teste e descobrir qual é o seu perfil de aprendizagem. A partir disso, continue acompanhando os posts aqui do blog, porque em breve eu vou falar mais sobre os estilos de aprendizagem.

Um beijo e até o próximo post! Bora estudar, miga.

Técnica em marketing e estudante de publicidade e propaganda na USP. Desde sempre precisar trabalhar e estudar e assim, entendi que com organização, planejamento e jogo de cintura, nossos sonhos são possíveis.

Publique um comentário