Top

Emirados Árabes: Mulheres artistas – parte 1

Mas e que história é essa de que nos Emirados Árabes tem mulheres artistas? Sim, miga! Inclusive eu sou uma delas. Mas hoje, aqui no Mulheres Artistas dos Emirados Árabes – parte 1, vou falar contigo só sobre as mulheres emiratis que são artistas.

E apesar de tanta diferença cultural e de te dar um certo “choque de realidade” aqui neste primeiro post, temos também boas novas na arte miga! Além de muito incentivo, teremos uma parte 2 deste post que está por vir recheada de novidades. Vamos lá!

Emirados Árabes mulheres artistas parte 1

Como vocês devem saber, os Emirados é um país árabe muçulmano. Dito isso, é totalmente compreensível o fato de que a cultura e os costumes aqui sejam diferentes dos nossos.

Lembrando miga, não estamos aqui para julgar cultura nenhuma!

Temos incentivo à arte aqui nos Emirados Árabes?

A resposta é um longo e sonoro SIIIIIIIIIIM! E muito!

Os Emirados Árabes estão sempre em busca de serem o país anfitrião em diversos eventos culturais. Sendo assim, aqui temos a arte em suas diversas formas, tais quais:

  • Orquestras;
  • Danças;
  • Filmes e séries produzidos aqui;
  • Shows de cantores que conhecemos aí também (por aqui já passaram, por exemplo, Red Hot Chili Peppers, Eminem, Katy Perry, Dido, entre muitos outros artistas);
  • Shows de vários cantores árabes famosos (atualmente temos até mesmo um show de HOLOGRAMA de uma cantora já falecida famosíssima, a Umm Khultum! Pasmem!);
  • Temos inclusive um parque temático gigantesco que abre durante alguns meses por ano, o Global Village, que abriga diversos pavilhões, onde cada um deles representa um país, trazendo a sua cultura.

Enfim, miga… os Emirados nos disponibiliza uma vastidão tão imensa em relação à cultura que eu poderia escrever 100 posts sobre isso e não serio o suficiente.

Mas a grande questão da parte 1 deste post é: e no meio de tanta cultura temos espaço para as mulheres? Existem mulheres artistas nos Emirados Árabes?

Qual a limitação para as mulheres emiratis em relação à carreira artística?

Não vou ser hipócrita e dizer que as nossas migas emiratis podem atuar em todas as profissões aqui.

Tudo depende do que a família da moça aceita. Por exemplo, se ela quiser trabalhar com arte, cabe também à família participar dessa decisão, uma vez que isso pode acabar expondo não somente a artista, mas também a família dela.

É necessário também entender que o povo emirati costuma ser um povo muito reservado, especialmente ao se tratar das mulheres e crianças da família. Quanto mais afastados das grandes cidades eles vivem, mais reservados e apegados à tradição eles são.

Mas se a família concordar, então elas partem para a carreira que desejam, muitas vezes tornando-se pioneiras aqui na área que escolhem, já que se trata de um país novo e muitas situações aqui estão acontecendo ainda pela primeira vez.

Agora vou te apresentar de forma bem “crua” a parte das restrições por aqui, um lado da moeda que, para nós, pode ser difícil de aceitarmos.

Um lado da moeda: não deixaram ela cantar!

Por motivos óbvios não posso expor nomes; a menina em questão jamais concordaria em dar algum depoimento sobre e muito menos a sua família. Dito isso, vamos lá pra esse choque cultural, miga.

Tenho uma amiga que foi convidada por um agente de renome a entrar para um coral aqui.

Essa menina vive em uma área mais próxima ao deserto, ou seja, um pouco mais afastada do centro da capital do país. Essas pessoas são chamadas beduínas.

Emirados Árabes mulheres artistas parte 1
Mulher e crianças emiratis beduínos, vestindo as roupas tradicionais dos Emirados. Fonte: www.nrmpinternational.org/country/abu-dhabi/

O convite, que foi em relação a ela, nunca foi feito diretamente a ela. O agente a convidou através de seu tio, um homem da família, que tomou a liberdade de discutir o assunto com a família, e chegaram à decisão final de que não seria permitido que essa menina ingressasse no coral, mesmo sendo um projeto de alto prestígio.

Vale lembrar que algumas famílias não aceitam nem mesmo que os homens se envolvam com música ou dança. Sendo assim, não podemos dizer que o fato de ter sido negada a ela a permissão para que cantasse seja porque ela é mulher. Também não podemos pensar que se trata de uma menina super protegida. Estamos falando de uma jovem, na casa dos 20 anos de idade, estudante universitária.

Mas veja bem, ela não é proibida de trabalhar ou estudar ou nada assim, mas sim de trabalhar com música, e de se envolver com arte.

Isso tudo depende muito da maneira com que a família lida com a arte, e muitas vezes as próprias mulheres aceitam essa realidade como um ato de cuidado e amor de suas famílias para com elas.

Moral da história…

Calma! Este foi apenas o início!

Enfim, miga, teremos as mulheres artistas dos Emirados Árabes – parte 2, então não desanima pensando que teremos aqui apenas a história da minha querida amiga beduína, que por sinal compreendeu a decisão da família dela e está super feliz com os seus estudos.

Assim, aprendemos que podemos sim lutar pelos nossos direitos e pelos direitos das nossas migas ao redor do mundo, mas também aprendemos a respeitar as outras culturas, mesmo aquelas tão diferentes da nossa.

Fica ligada no próximo post!

Emirados Árabes mulheres artistas parte 1

Um forte abraço da sua miga aqui do deserto.

Bailarina profissional de dança do ventre, residente nos Emirados Árabes Unidos. Deixou para trás a estabilidade que tinha no Brasil e seguiu um sonho no outro lado do oceano, enfrentando barreiras culturais e se tornando sua própria empresária. Formada em Ciências Contábeis, mas atualmente contadora apenas de histórias dessa vida louca!

Publique um comentário