Top

Conexão intestino-cérebro interfere na qualidade de vida

Miga, você sabe o quanto nosso intestino influencia em nossa qualidade de vida? O que acontece lá literalmente sobe pra cabeça! Nossa imunidade, nosso humor, nosso comportamento… Tudo está completamente interligado.

Por muito tempo o intestino foi visto apenas como um local de digestão e absorção de alimentos. Você ainda tem esse pensamento? Bom, isso vai mudar agora. Juro que vai te chocar! Então vamos falar sobre a conexão intestino-cérebro?

gif audrey hepburn

Intestino é o segundo cérebro? Como assim?

Pode acreditar! Nosso intestino aloja não somente milhares de bactérias, mas também neurônios. Claro que a quantidade é inferior ao nosso cérebro (ainda bem, né? Kkk), porém, é suficiente para compor um sistema próprio que possui comandos específicos como controlar a liberação de substâncias que atuam na digestão e até mesmo os movimentos do sistema gastrointestinal.

Aliás, você se lembra da serotonina que comentei em outro post? Aquela que traz sensação de bem-estar? Então, pasme, mas cerca de 80-90% dela é produzida lá, em nosso intestino! SIM, SÉRIO! Isso traz sentido para aquela famosa frase “fulano está enfezado”, em outras palavras, fulano está de mau-humor. Porque se o intestino está desregulado isso vai SIM, COM CERTEZA, SEM DÚVIDAS, influenciar em seu humor.

E não existe somente a serotonina! Há outros “mensageiros” que vão de lá pra cá, daqui pra lá, numa conversa bem constante entre cérebro e intestino. Essa conversa acontece através de um telefone – neste caso, com fio – chamado nervo vago, que passa por nosso abdômen e tórax. Por isso, quando estamos ansiosos ou nervosos temos aquele friozinho na barriga ou bate aquela dorzinha de barriga. Já passou por isso, miga?

Boas (e más) companhias

E não para por aí. Ainda há outra coisinha muito importante que é bastante estudada no momento: nossas bactérias intestinais. Aliás, para ser mais precisa, nossa microbiota intestinal. Elas são essenciais para regular nossa digestão e absorção bem como para nos proteger contra infecções. Temos um acordo bem firmado: oferecemos uma casinha aconchegante (nosso intestino) e comida e, em troca, elas cuidam da regulação do nosso intestino/organismo.

E aí você me pergunta “ué, mas por que ‘boas e más’ companhias?”. Bom, acontece que nesse povoado não há somente bactérias boazinhas. Pelo contrário, há más também. Porém, nosso intestino em equilíbrio consegue manter um ambiente apaziguador.

Todavia, quando isso se desequilibra desencadeia uma guerra. Bactérias “más” em excesso produzem substâncias diferentonas que tornam o intestino um ambiente hostil. E nessa novela toda aquelas mensagens que são enviadas ao cérebro também ficam todas confusas, desencadeando mau-humor e depressão, por exemplo. Isso também impacta em nossa imunidade, já que essa bactéria tem zero interesse em proteger nossa barreira intestinal. E sabe a tal serotonina? Então, ela também fica em falta, trazendo aquele baita desânimo com a vida.

E agora imagino que você esteja pensando o que acontece para causar toda essa bagunça. Miga, e é o óbvio mesmo: alimentação. Quando nossa alimentação está muito desregulada, pobre em nutrientes, fibras e água, tudo isso acontece. Uma loucura, né?

Como saber que meu intestino pirou de vez?

Diversos sintomas podem estar envolvidos. Os mais básicos são períodos constantes de constipação (a famosa prisão de ventre) e/ou diarreia. Aí já podemos perceber que algo está errado. Além disso, outros sintomas podem surgir, tais como distensão abdominal – aquele inchaço constante e progressivo ao longo do dia -, gases intestinais e aquela sensação de “empanturrada”, sabe? Além, claro, do mau-humor, depressão, ansiedade, falta de concentração, etc.

Todavia, ressalto o quão importante é procurar um profissional para avaliar os sintomas e realizar o tratamento corretamente. Não vai sair correndo por aí buscando soluções por conta própria, viu? Afinal, você pode agravar mais o caso.

britney spears - intestino

Além disso, ainda digo mais! Essa influência do intestino sobre todos os fatores já mencionados é tão grande que motivou até mesmo uma pesquisa sobre a saúde intestinal da mulher brasileira. Você acredita? Infelizmente, por questões hormonais, nós, mulheres – maravilhosas, incríveis e sensacionais –, temos maior probabilidade de desenvolver “desarranjos” intestinais. Neste sentido, avaliando a influência do mau funcionamento intestinal sobre a qualidade de vida, o estudo demonstrou que 89% das mulheres relataram variações de humor, 88% reclamaram de falta de concentração e 79% disseram ter até mesmo impacto na vida sexual!

chocado

Foco na regulação intestinal

É possível sim reverter toda essa confusão no intestino (AMÉM!)! Então como começar?

Primeiramente, foque em sua alimentação. Comece a enriquece-la com maior variedade de alimentos. E não tem fórmula ou receita pronta, tá? Aumentar o consumo de cereais integrais, frutas, verduras, legumes e água já pode super ajudar!

Há também alguns alimentos no mercado que podem dar um empurrãozinho. Iogurtes enriquecidos com probióticos, kefir, kombucha e leites fermentados são boas opções! Todavia, como já disse lá em cima, é importante buscar um profissional para avaliar tudo certinho para realmente cuidar de forma adequada.

É, miga, o seu intestino tem muita relação com fatores que podem influenciar em sua dominação mundial! Então observe aí. Algumas soluções podem estar, literalmente, abaixo do seu umbigo.

Nutricionista, anti-dietas da moda e debochada. Me especializei em nutrição comportamental e esportiva com foco em qualidade de vida e desenvolvi um formato de atendimento humanizado com o intuito de ajudar pessoas a conquistarem autonomia sobre a alimentação de forma amigável, leve e sem restrições. Defensora de corpos livres de padrões estéticos.

Deixe-nos um comentário, miga!