Top
sacolas de compras comprar compulsivo

Compra Compulsiva: entenda o que é esse transtorno

Comprar pode ser divertido, importante, e até necessário, mas hoje a gente vai conversar sobre aquelas situações em que comprar pode ser um problema, quando se torna compra compulsiva.

Quero começar te apresentando (ou lembrando) a Rebecca Bloonwood, que talvez você conheça do livro ou do filme “Os Delírios de consumo de Becky Bloom”. Se você já viu, você deve se lembrar de algumas dificuldades que ela passava justamente por comprar compulsivamente, inclusive estourando vários cartões de crédito. O título original é “Confessions of a Shopaholic”, que seria literalmente “confissões de uma viciada em compras”.

Becky Bloom falando sobre compra compulsiva

“Quando eu faço compras, o mundo fica melhor. Mas, pouco depois, deixa de ser. Daí eu preciso fazer compras outra vez”

Becky Bloom

Pois é, miga, é assim que a compulsão funciona. Parece uma boa ideia no início, mas vai só aumentando até fugir do controle. Hoje, você vai entender melhor o que é esse transtorno e vou te dar algumas dicas para lidar melhor com as suas compras. Vamos juntas?

Transtorno de Compra Compulsiva

Comprar compulsivamente não é algo simples e pode inclusive caracterizar um transtorno. As principais características de quem apresenta o transtorno de compra compulsiva, de acordo com estudos da USP, são:

  • Perda de controle sobre o ato de comprar;
  • Aumento progressivo do volume de compras;
  • Tentativas frustradas de reduzir ou controlar as compras;
  • Comprar para lidar com angústias ou outra emoção negativa;
  • Mentiras para encobrir o descontrole com compras;
  • Prejuízos nos âmbitos social, profissional e familiar;
  • Problemas financeiros causados por compras.

Nesse caso, é importante buscar terapia para lidar melhor com tudo isso. Em algumas situações, o tratamento medicamentoso também pode ser importante.

Hora de testar

A equipe do Programa Ambulatorial Integrado dos Transtornos do Impulso (PRO-AMITI), que é um Serviço do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP, tem um teste que ajuda a identificar quem pode sofrer de consumo compulsivo. Olha só:

  1. Você tem preocupação excessiva com compras?
  2. Muitas vezes, acaba perdendo o controle e comprando mais do que deveria ou poderia?
  3. Percebeu um aumento progressivo do volume de compras e nas suas despesas?
  4. Já tentou e não conseguiu reduzir ou controlar as compras?
  5. Faz compras como uma forma de aliviar a angústia, tristeza ou outra emoção negativa?
  6. Mente para encobrir o seu descontrole e as quantias que gastou com compras?
  7. Tem ou teve prejuízos sociais, profissionais ou familiares em função das compras?
  8. Tem problemas financeiros causados por compras?
  9. Já se envolveu com roubo, falsificação, emissão de cheques sem fundos ou outros atos ilegais para poder comprar, ou pagar dívidas?

Se você respondeu SIM para ao menos cinco das nove perguntas acima, é importante procurar um profissional.

Black Friday e Natal

Miga, como foi a Black Friday por aí? Vale repensar como as promoções e descontos afetam o seu comportamento.

Essa época do ano incentiva muito as compras e pode intensificar esse transtorno, então, atenção em dobro pra não exagerar, combinado?

mulher compra compulsiva chegando com várias sacolas

“Mas eu preciso comprar”

Comprar é uma necessidade, eu sei, mas será que tudo o que você compra é uma necessidade?

É importante entender a diferença entre as situações quando de comprar torna-se compulsivo e quando não. Mesmo quando uma pessoa apresenta as características do Transtorno de Compra Compulsiva, não significa que todas as suas compras são compulsivas. Por isso, o acompanhamento de um profissional pode ser útil para te ajudar a diferenciar essas situações.

Comprar emocional

Miga, para e pensa um pouquinho: como você se sente após comprar algo?

Com a pandemia e o distanciamento social, as fontes de prazer no nosso dia a dia foram reduzidas significativamente; aí entraram dois efeitos que foram sentidos por muita gente: comer e comprar, ambos em excesso, afinal, ambos podem ser fontes de prazer.

Em alguns casos, comprar acaba sendo como um bandaid emocional para outros problemas, uma maneira de não olhar para o que você está sentindo ou para a real situação que te levou até aquele momento, como ansiedade, frustração, estresse… É importante pensar em outras estratégias para encarar o que você sente.

Facilidade das compras online

compra compulsiva online

Comprar online é uma ferramenta muito prática e últil, mas pode ser um facilitador para compra compulsiva. Segundo estudo realizado pela Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo (SBVC) 61% dos clientes que compraram online durante a quarentena aumentaram o volume de compras devido ao isolamento social.

Um exemplo disso é a hashtag #tiktokmademebuyit, que em tradução livre seria “tiktok me fez comprar isso”, que já tem mais de 1 bilhão de visualizações no Tiktok. São diversos vídeos compartilhando compras influenciadas pelo app.

@heartdefensor

Imagine using this during a text msg argument 😏 phone keyboard from amazon #tiktokmademebuyit #tiktokmademedoit #amazonfinds #amazonmusthaves #fyp

♬ Wild Thoughts DJ Khaled

“Eu mereço”

Você trabalha bastante, se esforça, ganha o suado dinheirinho, e aí aparece aquela vozinha “compra tudo, você merece”. Provavelmente você merece mesmo, miga, mas esses momentos de compras por impulso acabam trazendo muitas vezes culpa e arrependimento depois.

Então, que tal separar já no começo do mês um valor para se presentear sem comprometer o orçamento? Mas também é importante reconhecer e valorizar o seu trabalho de outras formas, não só através de compras.

Dicas práticas

Pra finalizar, 4 dicas que podem te ajudar a planejar suas compras, afinal saúde financeira tem tudo a ver com saúde mental:

  • Anote todos os teus gastos. Mesmo sendo difícil, você precisa olhar pra isso pra poder entender e resolver. Teste algumas ferramentas e escolha a que funciona melhor pra você. Algumas opções são uma planilha no excel, aplicativos ou o bom e velho caderninho;
  • Evite ao máximo compras impulsivas. Deixe pelo menos um dia “no carrinho”, pense com calma antes de finalizar a compra;
  • Estabeleça um orçamento: até quanto você pode gastar esse mês sem que isso te prejudique? Por exemplo: “quanto eu posso gastar com presentes nesse Natal e quanto vou gastar com cada pessoa?”. Estabeleça isso antes de fazer qualquer compra;
  • Fale mais sobre dinheiro, traga esse assunto pro seu dia a dia. Finanças não são um monstro, não precisa fugir delas.

Você pode começar aqui no blog mesmo, com os conteúdos da categoria Finanças. Eu indico muito a leitura desse post sobre “O que podemos aprender com Nath FInanças e Grana Preta”.

Além disso, esses perfis podem te ajudar a repensar sua relação com dinheiro: @astridlacerda, @graninhax e @boletinhos.

Miga, cuida do seu dinheirinho e se cuida. <3

Uma psi descomplicando a saúde mental & falando sobre autocuidado, autoconhecimento e todos os outros auto's que só você pode fazer por você. Empreendendo 100% digital com terapia online e mentoria para outras psis. Sou psicóloga clínica (CRP 12/15901), especialista em Terapia Cognitivo Comportamental.

Deixe-nos um comentário, miga!