Top

Como eu me tornei uma pessoa produtiva

Oii, miga!! Falo tanto sobre dicas, aplicativos e formas de você se tornar mais produtiva que hoje resolvi vir contar a minha história e como foi todo o meu processo para que eu conseguisse gerenciar melhor as minhas tarefas. Que tal conhecer um pouquinho mais de mim?

O início de tudo

Começando do início (obviamente), eu nunca me considerei uma pessoa de fato produtiva, eu apenas me ocupava. Eu sempre me dediquei bastante aos meus estudos, então, quando estava no ensino fundamental, percebi o primeiro pontinho de organização. Sempre gostei muito de manter as minhas tarefas em dia e ir dormir sabendo que eu não tinha nenhuma atividade para fazer (claro que não era sempre assim, mas eu tentava).

Mas, a grande diferença de hoje é que antes eu me organizava, planejava, revisava, e ainda assim eu era uma pessoa ocupada (não produtiva); eu levava horas e horas para fazer uma atividade que eu faria facilmente em 30 minutos se eu me concentrasse. Demorei muito tempo para perceber o que tinha de errado e foi aí que começou a mudança.

Por isso, sempre digo que o primeiro passo é o reconhecimento; é você olhar para si mesma, perceber o que está errado e ter a certeza de que deve melhorar. Afinal, se você sempre pensar que está tudo certo, nunca irá buscar evolução.

Depois do reconhecimento

Enfim, quando percebi que estava procrastinando muito para fazer as atividades, já me via lotada de tarefas e sem saber como administrar tudo. No meu ensino médio,caí de cabeça no mundo da organização e da produtividade e estudei para valer. Assisti a inúmeros vídeos no YouTube, lia muitos posts de blog e fiz alguns treinamentos. Parti do ponto 0, mas, com o tempo, adquiri todo o conteúdo que eu tenho hoje em minhas mãos, o que me trouxe uma grande carga de conhecimento.

Sempre falo que a organização é viver e testar, errar e melhorar; não existe uma fórmula pronta para você aplicar nos seus dias e se tornar a pessoa mais produtiva de todas. Mas você consegue testar, ver o que dá certo, descartar o que não dá e melhorar a cada dia.

Assim eu fiz, apliquei muitos ensinamentos que eu aprendia e fui desenvolvendo o meu próprio método de organização a cada nova função diferente que eu conhecia. No começo, tentei me organizar no digital e deu muito certo, mas como eu ainda estava procrastinando muito e não sabia a real diferença entre ser uma pessoa ocupada e uma pessoa produtiva eu ficava muito tempo enrolando na internet.

Papel ou digital?

Foi nesse ponto que senti a necessidade de me organizar no papel. Meu primeiro planner foi em 2019 e desde que comecei a usar não me desapeguei mais. Atualmente, eu sei que consigo desenvolver minhas tarefas muito melhor quando estão escritas em um papel e consigo fazer um planejamento mais eficiente quando está na palma da minha mão.

Antes de comprar o planner, obviamente, já tinha testado outros ”papeis”, como a agenda datada, bujo e até um caderno sem data nem nada, mas onde realmente me encontrei foi no planner. Eu sempre gostei de ter todas os meus objetivos e tarefas em um lugar só, então ele me ajudou muito quanto a isso.

Método de organização

Testando e aprendendo, deixei muitas folhas em branco até perceber o que realmente dava certo para mim. Hoje organizo todo o meu dia no planner; todas as minhas tarefas, metas e objetivos são direcionados para lá; habit tracker e lembretes de gratidão, ficam tudo no mesmo lugar. O que comecei a passar para o digital e que tem funcionado (agora que aprendi a me concentrar de fato) é o meu trabalho. Desde o trabalho no cantinho produtivo, os posts aqui no blog da Moving, meus resumos, trabalhos da faculdade e outras contas em que administro, por causa da praticidade e agilidade.

Nem toda ferramenta é perfeita

Por perceber que o papel dava certo para mim, eu quis passar tudo para cadernos, mas começou a me demandar muito tempo. Os resumos da faculdade são exemplos claros disso: antes eu fazia todos os resumos a mão em um caderno e levava horas para fazer um ”resumo” que gastava facilmente 10 folhas. Agora que passei tudo para o digital, fica muito mais fácil digitar e ir guardando no meu bloco de notas. Assim consigo estudar neles sempre que precisar e não passo horas em cima de um caderno escrevendo até a mão cair.

Então, a questão aqui foi que, algumas áreas da minha vida eu preferi deixar no digital e a organização geral (planner) eu preferi deixar no papel. Isso foi o que deu certo para mim! E é o que eu sempre digo, isso não é uma verdade absoluta e muito menos uma fórmula pronta, não é só porque consigo ser produtiva dessa forma que você também irá conseguir.

Eu posso te dar dicas e te explicar várias formas para se organizar, mas a única pessoa que pode definir seu método de organização é você mesma, testando e melhorando.

Yeah! Agora entendi como ser produtiva.


Cada dia que passa tento aprender algo a mais sobre organização, afinal, sempre temos algo novo para aprender. E é muito bom poder melhorar (nem que seja 1%) a cada dia. Minha história com a produtividade teve muitos erros, mas muitos acertos também e hoje me vejo em um lugar rodeado disso e, sinceramente, não sei onde estaria se não tivesse tomado a decisão de me planejar tempos atrás.
É isso, miga, nunca é tarde demais para começar a se planejar. E como diz o bom e velho ditado: Antes tarde do que nunca, né? Bora testar, existe muito conteúdo gratuito que pode te ajudar a melhorar muitos pontos na sua organização.

Empreendedora catarinense que te ajuda a alcançar seus objetivos através da Organização e Produtividade e te auxilia no Planejamento para que você seja quem sempre sonhou ser.

Deixe-nos um comentário, miga!