Top

As buscas por Fungie, o golfinho da Irlanda

Oi, miga, what´s the craic (“quais as novidades”)? Por aqui rolam as buscas por Fungie, o golfinho de Dingle na Irlanda. Há 37 anos, ele decidiu viver em contato com os humanos, mas sumiu no fim de outubro! Agora a busca pelo golfinho se apoderou da Irlanda. Vem cá que eu vou te contar melhor essa história!

O golfinho

No outono de 1983, um golfinho Tursiops truncatus chegou em Co. Kerry, sudoeste da Irlanda. De acordo com os pescadores do porto de Dingle, como havia uma tempestade a caminho, ele partiria em seguida. Mas ele não foi. Ele ficou e ficou. E começou a interagir com os humanos.

Embora seja comum alguns golfinhos-nariz-de-garrafa solitários, Fungie é diferente. Os golfinhos procuram uma área e ficam por um tempo. Porém, pescadores dizem que passar toda a sua vida em um pequeno porto é realmente incrível. Alguns dizem que ele pode ser órfão. Sua mãe teria morrido no mar e ele chegou ao porto se sentindo em um lugar seguro.

Seja como for, o simpático golfinho de 220 Kilos e quatro metros, é conhecido por nadar brincando com os barcos. Além disso, especialistas estimam que ele tem quase 40 anos. Um coroa enxuto! Por isso, Fungie é o golfinho solitário mais antigo registrado pelo Guinness World Records em 2019.

Um cara simpático

Fungie, chegou como um observador tímido dos visitantes humanos. Logo virou um companheiro brincalhão e travesso, tratando todo mundo bem, especialmente as mulheres. Ele gosta de todos, sejam nadadores, canoístas, windsurfistas ou crianças na praia. Desde que começou a escoltar os barcos de pesca da cidade para o porto, foi oficialmente nomeado “piloto” da frota. Galã!

Além disso, pescava na foz do porto um peixe conhecido como “Garfish”. A princípio, essa espécie nunca havia sido registrada antes na dieta de um golfinho! Logo que encantou as pessoas, sua fama começou a se espalhar. Assim, Fungie virou parte da identidade de Dingle e da história da cidade.

Fungie o golfinho de Dingle na Irlanda

Sua natureza amigável e interação com os humanos trouxeram fãs, é claro! Ou seja, pessoas começaram a vir de longe para ver a celebridade irlandesa. Logo depois, o simpático ganhou uma estátua de bronze linda na frente do porto.

Mais de uma dúzia de balsas transportava turistas para vê-lo todos os dias. O charmoso marinho encontra até 200.000 pessoas por ano. Assim, Fungie ajudou a estabelecer sua cidade, Kerry como um importante destino turístico. A princípio impactou 12 barcos todos os dias para ver o golfinho de perto, empregando mais de 50 pessoas. Além disso também gera movimento em restaurantes, pubs, lojas de presentes, hotelaria e turismo.

Antes a cidade vivia praticamente da pesca. Mas a indústria de pesca praticamente desapareceu. Por isso, a região hoje é totalmente dependente do turismo e Fungie se tornou parte importante da economia local. Inclusive, ele sempre parava para que as fotos fossem tiradas. Um verdadeiro influencer!

As buscas por Fungie

Desde 15 de outubro, a preocupação cresceu, porque o golfinho de Dingle desapareceu. Ao mesmo tempo que voltamos para uma nova quarentena de seis semanas da Covid-19, Fungie também está nas manchetes. Desde que ele não foi visto, os moradores locais ajudaram a coordenar as buscas por Fungie na Irlanda. Mas agora eles estão temendo o pior. E eu nem cheguei a conhecer, poxa!

Especialistas acreditam que as restrições da Covid-19 podem ter tido impacto na sua brincadeira de agradar pessoas. Durante o primeiro lockdown na Irlanda embarcações não essenciais foram solicitados a ficar fora da água. “Pela primeira vez em 37 anos, Fungie não teve companhia dos barcos”, disse Jimmy Flannery, presidente da Dingle Dolphin Boat Tours. “Ele pode ter percebido que algo estava errado. Talvez ele tenha pensado que o mundo não é o mesmo lugar de antes. E simplesmente seguiu em frente.”

Vários barcos passaram tardes e tardes procurando no porto de Dingle. Uma equipe de mergulhadores fez uma grande busca nas enseadas e cavernas frequentadas por ele. Realizaram também uma varredura de sonar. Mas nenhuma busca encontrou sinais do querido Fungie.

A princípio barqueiros disseram que Fungie nunca deixou a foz do porto por tanto tempo. O máximo que já sumiu foi por cinco ou seis horas.

Dingle sem Fungie

Uma indústria inteira agora sofrerá sem sua atração principal. E as pessoas locais também. Ai meu coração!

“Economicamente não é bom para nós, mas a preocupação agora é o paradeiro dele. É como perder um membro da família. Este é nosso amigo, nosso mascote”, disse Flannery. “Todos nós crescemos com ele. Sabíamos que chegaria o dia em que ele não estaria mais aqui. Mas tudo está mais sombrio do que pensávamos por causa da situação atual de pandemia.”

Até postagens no Facebook as pessoas estão deixando sobre as buscas por Fungie, o golfinho da Irlanda. “Todos esperamos um milagre, a baía parece realmente vazia sem ele. Estamos muito chateados! Sentimos que perdemos nosso melhor amigo. “

Há esperanças de encontrar Fungie

Um novo estudo sobre golfinhos deu esperança que Fungie possa estar vivo. Na semana passada, alguns grupos de golfinhos chegaram incomumente perto da costa. Como Fungie é uma criatura solitária, ele pode ter se escondido “de estranhos”. Em outras palavras, a teoria diz que ele simplesmente se mudou de Dingle para outro local. Desde já especialistas alertam que pode haver muitos avistamentos ‘falsos’, como de Elvis. Mas seu legado viverá por muito tempo”.

Por outro lado, seus amigos otimistas dizem que Fungie ainda faz parte da vida de todos eles. “Esperamos que ele tenha nadado em uma aventura. Temos esperança de que ele possa voltar.”

Enquanto isso, também ficamos na torcida por eles, certo, miga? Se ele aparecer, vou correndo pra Dingle conhecer essa lindeza!

Qualquer novidade eu venho te contar! Um beijo e como dizem por aqui, cheers!

Administradora, apaixonada e especialista em comunicação empresarial. Convicta da força do empreendedorismo na qualidade de vida e autoestima das mulheres. Clareio a jornada de empreendedoras para levarem seu trabalho e alma para o digital, com estratégia e autoconfiança. Aliás, já pode comunicar o mundo que ele é seu, miga!

Deixe-nos um comentário, miga!