Top
Personagem Gurjan do filme A Tenente de Cargil (Reprodução/Netflix)

A Tenente de Cargil: Um filme para as mulheres não desistirem de lutar

Oi, migas, tudo bem? Hoje vamos falar sobre “A Tenente de Cargil”, um filme bem inspirador, que eu tenho certeza de que vai te dar um empurrãozinho toda vez que você pensar que aquele trabalho não é para você, só porque você é mulher. É um filme para nos mostrar a importância de ocupar espaços e lutarmos pelo que queremos. Vamos lá?

A Tenente de Cargil

A Tenente de Cargil é um filme inspirado na vida de Gurjan Saxena, a primeira mulher piloto de combate da Força Aérea da Índia. Por ser uma inspiração, a história em si do filme não vai seguir 100% tudo que aconteceu na vida de Gurjan, mas vai trazer muitos pontos importantes, mostrando como poderia ter sido o percurso dela até alcançar seus objetivos.

O filme é indiano e foi lançado esse ano pela Netflix. Além de mostrar o machismo que Gurjan enfrentou tentando realizar o sonho de ser piloto, ainda podemos ver um pouquinho da cultura indiana e ouvir a linguagem maravilhosa dos atores.

Personagem Gurjan Saxena, do filme A Tenente de Cargil
Personagem Gurjan Saxena (Reprodução/Netflix)

Não existe profissão de homem ou de mulher

Quantas vezes você já ouviu falarem que isso não era “coisa de menina”? Que aquele lugar não era para você? Pois bem, no começo do filme nos deparamos muito com isso. Gurjan sonha em ser piloto de avião, mas seu irmão e sua mãe sempre a desmotivam, falando que mulheres não podem estar naquele lugar, pois é “coisa de homem”.

Seu pai foi o único que a incentivou, e sempre debateu essa questão na família, mostrando que ela poderia ser quem ela quisesse, afinal, o que precisa é de capacidade, estudos e prática. Ser mulher não torna ninguém menos capaz. Por isso, nunca deixe homens te dizerem sobre o que você pode ou não ser. Só você é capaz de decidir por você.

Não desista daquilo que você tanto quer

Parece até clichê, né? “Não desista daquilo que você tanto quer”, bem frase motivacional hahaha, mas não desistir é muito importante sim. Conquistar o que se almeja nem sempre é fácil, as vezes demora, as vezes dói, mas é preciso continuar tentando. Desde criança Gurjan queria se tornar uma piloto, e por ser uma profissão masculinizada, ela sempre foi desencorajada, tanto pela família, quanto pelas instituições em que ela tentava se inscrever.

Eu sei que às vezes é um processo longo, mas o final pode ser muito compensador. Você é capaz, é inteligente e sabe onde quer chegar. Continue, estou torcendo por você.

Gif de uma cena de A Tenente de Cargil

Ser mulher é fazer 10 vezes mais do que um homem

Obviamente as conquistas nunca são fáceis para nós. Na maioria das vezes é preciso fazer duas vezes mais, para conquistar metade do que um homem conquista. Infelizmente vivemos inseridas em uma sociedade que sempre colocou homens como prioridade de tudo. No final de A Tenente de Cargil vemos claramente como é ser uma mulher dentro de uma profissão completamente masculinizada.

Nada foi fácil para Gurjan. Quando entrou na Força Aérea, nem banheiro feminino existia, por isso muitas vezes era preciso se desdobrar para conseguir trocar de roupa. Por causa disso, sempre se atrasava para os voos, e assim ficava sempre de fora.

Gif da personagem Gurjan Sexane A Tenente de Cargil

O filme mostra Gurjan passando meses sem sequer entrar dentro de um helicópetero. Os próprios homens tinham receio de pilotar junto com ela, usando sempre a mesma desculpa de que ela, por ser mulher, não tinha a força e capacidade necessária para enfrentar esse trabalho.

Quantas vezes você não viu um homem alcançando espaços que você demorou 10 vezes mais para alcançar? Ou viu homens ganhando créditos, enquanto você não ganhou nem um obrigado? É difícil. Vivemos em uma sociedade patriarcal, que coloca as mulheres em lugares de submissão e passividade. Mas não podemos desistir.

Mesmo que o trabalho seja mais difícil, vamos continuar mostrando o quanto somos f*das, e conseguimos tanto quanto os homens.

Mude o sistema, mude o mundo

Um dos maiores ensinamentos do filme, além de mostrar os espaços que podemos e devemos ocupar, é que nossa luta é capaz de mudar o mundo.

Parece clichê, afinal, o mundo é enorme, né? Mas mudar o sistema no qual estamos inseridas, é mudar o nosso redor. Quando você empreende e se torna dona do seu dinheiro, do seu negócio e das suas vontades, você mostra para outras mulheres que elas também podem.

Quando você ajuda tantas outras a chegarem onde você chegou, você começa a criar um círculo de mulheres empoderadas, que entendem o poder da sua existência e da sua luta.

Uma pequena mudança pode abrir grandes portas, nunca tenha dúvida disso. Gurjan foi a primeira mulher piloto de Força Aérea, e depois muitas outras puderam realizar os seus sonhos.

Gurjan ganhando o reconhecimento dos colegas de profissão (Reprodução/Netflix)

Esse filme é inspirador, tenho certeza de que você vai gostar. Há tanto o que falar sobre ele que não caberia aqui. Para não dizer que achei tudo perfeito, o único ponto que não curti tanto, é o fato de que a personagem poderia ser mais ativa em algumas situações, senti algumas cenas ela muito parada, e muitas vezes é o pai dela que ensina lições que talvez caberia muito mais a mãe dela ter ensinado. Mas no mais, é muito bom.

Espero que você assista e tenha muitos aprendizados e veja a importância da nossa luta. E não esquece de acompanhar os outros textos sobre filmes que já escrevi por aqui.

Jornalista paraibana, se especializando em Neuromaketing e idealizadora de uma revista que vê no feminismo a esperança do mundo, lutando para que mulheres reconheçam seus espaços e se sintam livres.

Deixe-nos um comentário, miga!