Top

3 escritoras negras para você conhecer hoje

Oi, miga, hoje resolvi fazer diferente e trouxe um pouco da história de 3 escritoras negras para você conhecer, em vez de citar livros para vocês, coisa que já trouxe muito por aqui, inclusive das três indicações de hoje. Vamos conhecer algumas mulheres que estão por trás dessas obras. Se eu parasse e listasse todas as escritoras maravilhosas, o blog iria congestionar, pois opções não faltam.

Sempre paramos para ler os livros e às vezes nem buscamos conhecer a história de quem escreveu, ainda mais quando são escritoras negras, não é mesmo?

Infelizmente, o hábito da leitura está cada vez menor, e os livros de escritoras negras ainda têm menor engajamento de divulgação. Mas para além de suas obras, também é preciso conhecer suas histórias, e entender a importância de cada uma delas na nossa sociedade.

Vamos conhecer as escritoras negras de hoje?

Gif de uma mulher negra feliz

1. bell hooks

Gloria Jean Watkins, mais conhecida como bell hooks, é escritora, professora, pesquisadora, artista e ativista – inclusive seu nome é escrito em letras minúsculas para que tirem o foco dela e coloquem em suas obras e lutas. Nascida no Sul do Estados Unidos, em 1952, Bell é reconhecida pelos seus estudos sobre raça, gênero, classe e relações de opressões, uma referência para nossa atualidade por abordar temáticas tão necessárias na nossa sociedade.

Hooks sempre foi uma crítica muito ativa, principalmente sobre o racismo e privilégios da supremacia branca. A escritora é defensora da informação acessível, criticando muitas pessoas acadêmicas que continuam trabalhando com didáticas difíceis de entender, reforçando a desigualdade na educação.

Autora de mais de 30 livros, bell hooks lançou obras importantes, que são lidas, estudadas e debatidas até hoje, como O feminismo é para todo mundo, Olhares negros: raça e representação e E eu não sou uma mulher?.

Escritora bell hooks. Primeira indicação do escritoras negras
Escritora bell hooks (Reprodução/Internet)

2. Djamila Ribeiro

Uma das maiores referências sobre feminismo negro no Brasil, Djamila Tais Ribeiro dos Santos é ativista direta no combate ao racismo. Natural de Santos – São Paulo, Djamila nasceu em 1980.

Mestre em filosofia, escritora e acadêmica brasileira, já foi secretária-adjunta da Secretaria de Direitos Humanos e Cidadania de São Paulo, e atualmente também coordena a coleção Feminismos Plurais, que atualmente conta com diversas temáticas importantes, com autoria de vários escritores.

Seu primeiro livro lançado foi o O que é lugar de fala?, em 2017, dentro da sua coleção. Já em 2018 lançou o Quem tem medo do feminismo negro?, um livro super didático que fala sobre a importância dessa vertente para debater na sociedade, e o mais recente e também importante, em 2019, o Pequeno Manual Antirracista, livro que ficou por várias semanas entre os mais vendidos do país. Uma forma acessível de discutir sobre o racismo estrutural e como podemos nos fazer presentes na luta para combater esse mal.

Djamila é uma escritora muito necessária para nossa atualidade, pois além dos seus livros, ela também está em diversos meios trazendo conhecimento e lutando contra opressões.

Escritora Djmila Ribeiro. Escritoras Negras
Escirtora Djamila Ribeiro (Foto: Levi Fanan)

3. Chimamanda Ngozi Adichie

Chimamanda Ngozi Adichie é uma grande referência de escritora negra feminista da nossa atualidade. Nascida na Nigéria, em 1977, publicou livros importantes que inspirou centenas de meninas e mulheres, inclusive a Beyoncé.

Vencedora de vários prêmios, lançou seu primeiro livro em 2003, quando tinha 26 anos, chamado Hibisco Roxo. Em seguida lançou o Meio Sol Amarelo, que também teve grandes repercussões, sendo premiado na categoria ficção, com o Orange Prize, em 2007. Mas foi com o livro Americanah, que ela teve um maior reconhecimento, ganhando em 2013 o National Book Critics Circle Award.

Além dos 3 livros, Adichie tem vários outros lançados, como a exemplo do Sejamos Todos Feministas, que foi adaptado de uma palestra e o Para Educar Crianças Feministas. Chimamanda é uma referência não só pelos livros, que carregam histórias fortes, mas pela sua própria vivência de luta pela libertação de todas as mulheres.

Escritora Chimamanda Ngozi Adichie
Chimamanda Ngozi Adichie (Foto: Chris Floyd)

Enfim, miga! Você conhecia algumas dessas escritoras negras? Recomendo vocês pesquisarem mais sobre elas, pois o currículo é grande e há mais histórias sobre elas e seus trabalhos. Por último, leiam os livros delas, claro, que são f*das, garanto. Depois me conta aqui o que achou, tá?

Jornalista paraibana, se especializando em Neuromaketing e idealizadora de uma revista que vê no feminismo a esperança do mundo, lutando para que mulheres reconheçam seus espaços e se sintam livres.

Deixe-nos um comentário, miga!